Cerca de 1500 praças compareceram na assembleia da APRASC

Por unanimidade, participantes dizem NÃO a projetos que retiram direitos da categoria

Em assembleia extraordinária, realizada durante toda tarde de terça-feira, 04/06, praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros aprovaram rechaçar qualquer proposta que retira direitos da categoria.

Leia mais...

A classe operária vai à CLT

Por Ricardo Antunes

"O eufemismo 'flexibilizar' é a forma branda encontrada por essas forças para dizer que é preciso desconstruir os direitos do trabalho, arduamente conquistados em tantas décadas de embates e batalhas. Basta olhar o que se passa hoje com a Europa e constatar lá também o receituário é flexibilizar, acentuando ainda mais o desmonte dos direitos dos trabalhadores.", escreve Ricardo Antunes, sociólogo.

Leia mais...

As duas faces da CLT

Para o sociólogo Ricardo Antunes, legislação trabalhista, que completa sete décadas neste ano, trouxe ganhos na área social, mas representou perdas para o sindicalismo 

Por Patrícia Benvenuti, da Redação

Leia mais...

Não seremos os escravos do século XXI

Declaração da Federação Sindical Mundial (FSM) para o 1° de Maio de 2013

A FSM chama todas as organizações sindicais do mundo para organizar, por ocasião do primeiro de maio de 2013, assembleias e atividades em todos os países de todos os continentes, em honra ao Dia Internacional dos Trabalhadores e dos mártires da classe trabalhadora. A FSM, com base na resolução da reunião do Conselho Presidencial de 7 a 8 de março de 2013 em Lima, Peru, propõe o lema: “CHICAGO NOS MOSTROU O CAMINHO”, que deverá ser utilizado junto com as respectivas consignas de cada organização sindical.

Leia mais...

As classes trabalhadoras em marcha contra a ofensiva do capital cogerida pelo governo Dilma

Panfleto do Movimento Avançando Sindical (MAS) para a Marcha à Brasília

Visualizar Download

As políticas de contenção da crise do capital realizadas pelo governo de Dilma evidenciam quais são as “saídas” para a “retomada do crescimento”: aumentar a expropriação sobre a classe trabalhadora com a consequente isenção das grandes indústrias e transferência de recursos para as frações hegemônicas da burguesia. Os monopólios e o latifúndio são os maiores beneficiados, e para além do discurso de que estão sendo auxiliadas as “empresas nacionais”, a desnacionalização das indústrias e das terras é crescente na década de 2000.

Leia mais...

.

.

.

Multimídia

You need Flash player 6+ and JavaScript enabled to view this video.
Watching: Entrevista com Luiz Carlos Prestes em 1985 na Tv Paraná
Playlist: 0 | 1 | 2