Celebramos a vida e o legado do camarada Alfonso Cano


"Dos comandantes da FARC era o mais inteligente, o mais preparado politicamente, por isso o mais perigoso". Assim era classificado o camarada Alfonso Cano pela televisão colombiana em matéria especial sobre seu assassinato que hoje completa 6 anos.

Desde de seu primeiro pronunciamento público em Marquetalia, no ano de 1964, a bandeira da paz é erguida pelas FARC. A própria luta guerrilheira na Colômbia surge da necessidade dos camponeses em se defenderem da perseguição e assassinato promovida por fazendeiros e latifundiários ligados ao partido conservador, no período conhecido como "la Violência", quando Jorge Elieser Gaitán, candidato do partido Liberal e favorito a presidência é assassinado em praça pública durante comício em Bogotá. Uma parcela desse movimento era comunista e se organizava em ligas camponesas, com o aumento da repressão Estatal criam as FARC como guerrilha e crescem entre os outros setores camponeses, por continuar a luta com coerência na defesa dos trabalhadores e da reforma agrária.

Cano foi um dos mais enérgicos militantes pela paz na Colombia, participou dos processos de negociação de paz de La Uribe nos anos 80, iniciado no governo de Belisario Betancur, posteriormente dos diálogos de Tlaxcala nos anos 90, durante o governo de Cesar Gaviria, nos diálogos com o governo Andrés Pastrana no final da década de 90 e foi um dos arquitetos na construção do processo político que abriu caminho para os diálogos de paz em Havana.

O camarada Alfonso Cano foi assassinado em 04 de novembro de 2011, meses antes do inicio oficial das negociações entre o Estado Colombiano e as FARC-EP, cuja a primeira reunião pública tomou assento em outubro de 2012 na capital da Noruega. Foi durante durante a fase exploratória dos diálogos de Havana que o Estado colombiano desencadeou a operação para caçar e matar o máximo dirigente da guerrilha.

A operação militar que começou com 5 bombardeios foi comandada por 4 generais colombianos e chefes de agências dos EUA, ao todo foram usados 20 helicópteros Harpia e Black Hawks, aviões e 900 efetivos das forças armadas em solo. O militante de 63 anos de idade resistiu a perseguição durante todo o dia, mas foi capturado durante o cerco noturno. Havia se isolado de seus companheiros durante a tentativa de fuga, estava sem seus óculos de lentes grossas, mas sobrevivera ao ataque das bombas e metralhadoras. Os militares que o encontraram cumpriram então a ordem que partiu direto do Presidente Santos e o executaram a sangue frio.

Guilhermo Saénz estudou antropologia na Universidad Nacional em Bogotá, se tornou um destacado militante estudantil e começou sua formação política na Juventude Comunista, sua militância política o levou a ser perseguido pela repressão do Estado e a ser condenado a 2 anos de prisão. Os amigos e companheiros de Guilhermo imaginavam que ao sair da cadeia o jovem, filho da classe média, tomaria asilo político no exterior, mas logo descobriram que ele havia partido para as montanhas ingressar às fileiras da guerrilha e dedicar sua vida por completo a causa revolucionária, adotando o nome que o faria imortal na larga história de libertação dos povos latinoamericanos. 

 

Alfonso Cano é exemplo a todos os homens e mulheres que lutam por paz, por justiça social, pelo socialismo.

 

Alfonso Cano vive!

 

04.11.2017
PCLCP

.

.

.

Multimídia

You need Flash player 6+ and JavaScript enabled to view this video.
Watching: Saudação do PCLCP ao Congresso de Fundação da Central
Playlist: 0 | 1 | 2