Nota política do PCLCP-SC: eleger Rafael Melo prefeito e Vivian Haviaras vereadora em São José!

A cidade de São José é a quarta mais populosa e a sexta com o Produto Interno Bruto (PIB) mais alto de Santa Catarina. Pertencente à Grande Florianópolis destaca-se economicamente pelo setor de serviços e por uma área industrial destacável em relação às outras cidades da região metropolitana. É cortada pela BR 101 que divide a cidade ao meio, e que por ser porta de entrada para a capital Florianópolis, concentra grande congestionamento em horários de pico, além de expor os cidadãos dessa cidade aos perigos e a violência do trânsito. É conhecida por ser uma “cidade dormitório”, em que muitas trabalhadoras e trabalhadores moram nesta cidade (que se destaca por vários conjuntos habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida nas áreas periféricas) e trabalham na capital.

Politicamente essa cidade é dominada pelo empresariado e por famílias oligárquicas que se perpetuam no poder. Desde o duplo mandato de prefeito de Dário Berger, que findou em 2004 para assumir outro duplo mandato pela cidade vizinha de Florianópolis, a sequência de prefeituras derrotadas em suas tentativas de reeleição foram assumidas por ex-integrantes dos governos de Dário. Fernando Elias, seu irmão Djalma Berger e agora Adeliana Dal Pont, apesar das disputas intraburguesas que se seguiram, são originárias do mesmo projeto político.

Dos atuais candidatos à prefeitura de São José, quatro representam explicitamente a continuidade. AdelianaDal Pont, do PSD, tenta sua reeleição, mesmo com um mandato que não enfrentou problemas tais como as filas na saúde pública e a falta de cobertura total da atenção básica, assim como outros problemas relacionados ao serviço público, a moradia popular, a mobilidade urbana, destacando-se pelo autoritarismo e falta de diálogo para com os servidores públicos da cidade. José Natal do PMDB, atual vice-prefeito, representa o mesmo projeto. Sua candidatura faz parte da polarização entre duas forças de direita que disputam o poder para as próximas eleições estaduais. Mário Marcondes, do PSDB, e Fernando Anselmo, do PDT, não diferem absolutamente em nada em seus programas, priorizando somente as críticas à “gestão”.

A candidatura de Antônio Battisti, do PT, não provém diretamente deste grupo político. Em certo sentido oferece um discurso de esquerda que tem como objetivo salvar o espólio da história de lutas desse partido que, pelo menos nas últimas duas décadas, já não se pronunciavam. Apesar do histórico do candidato a prefeito que em certo sentido foi até 2012 a último mandato de vereador mais progressista dessa cidade, é impossível que este venha a resgatar sua posição de oposição a esse projeto político, já que em 2012 esse partido chegou a ter candidatura à vice na chapa de Djalma Berger.

 

OPOSIÇÃO DE ESQUERDA, PROGRAMÁTICA E DE VERDADE É RAFAEL MELO 50.

A melhor opção provém do PSOL, com a candidatura do professor Rafael Melo. O projeto político de oposição programática de esquerda já se apresentou em 2012, com uma campanha modesta em termos financeiros que conseguiu mais de 4000 votos, quase 4% dos votos válidos. Desde esse período, Rafael tornou-se a oposição mais relacionada com os setores dos movimentos populares e à classe trabalhadora.

Amparados por um projeto popular em que os maiores protagonistas são as trabalhadoras e os trabalhadores, esse projeto notabilizasse pela defensa incondicional dos serviços públicos, gratuitos e estatais; da luta das mulheres, dos negros, dos LGBTs, da população de rua, e demais setores marginalizados; e na defesa de uma gestão democrática, transparente e participativa.

Não temos dúvidas das dificuldades que uma campanha novamente modesta em termos financeiros poderá ter. Mas é nítida a desesperança que parte da população vê na política e que com a candidatura de Rafael Melo poderá surpreender.

 

PARA VEREADORA, APRESENTAMOS A CAMARADA VIVIAN HAVIARAS 50123.

Se a cidade de São José é carente de uma administração pública que priorize a participação popular e oriente-se pelas demandas mais sentidas das trabalhadoras e dos trabalhadores, a ausência de mandatos populares na Câmara de Vereadores (as) é gritante. Nas lutas contra os aumentos constantes das tarifas de ônibus e sua péssima qualidade, na defesa da USJ pública e democrática, ou mesmo para saúde e segurança pública, é possível afirmar que nos últimos quatro anos não tivemos nenhum mandato popular diretamente ligado a esses movimentos.

Nessa eleição apresentamos a candidatura da camarada Vivian Haviaras 50123, assistente social do Instituto de Cardiologia e dirigente do Sindicato da Saúde – SINDSAUDE – SC. Além da participação nessa gestão combativa, nas lutas em defesa do SUS, da saúde e de demais direitos sociais, Vivian é uma grande agitadora e conhecedora das políticas públicas. Sua candidatura também é construída em conjunto dos companheiros das Brigadas Populares, assim como diversos lutadores sociais dessa cidade e das trabalhadoras e trabalhadores dos hospitais da Grande Florianópolis.

A vitória deste mandato popular poderá ser um importante impulso para as lutas sociais dessa cidade. Sem dúvida, o caráter de tribuna popular deverá se amparar nos movimentos sociais e na participação popular ativa. Como diz o lema da candidatura, Que Viva São José!

PCLCP-SC

 

 

.

.

.

Multimídia

You need Flash player 6+ and JavaScript enabled to view this video.
Watching: Saudação do PCLCP ao Congresso de Fundação da Central
Playlist: 0 | 1 | 2