Criminalização dos Movimentos Sociais tem nova ofensiva em Goiânia

Nesta quinta feira (26/02), às 20 horas, próximo a praça cívica, 20 estudantes foram detidos pela Polícia civil e conduzidos a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), após participarem a manifestação contra o sistema de transporte coletivo, em especial o aumento da tarifa anunciado pelo governo.

Estes estudantes são todos militantes do movimento estudantil, inclusive membros do Diretório Central dos Estudantes- DCE da UFG e de centros acadêmicos.

A ação ilegal da polícia civil marca mais um trágico episódio de criminalização dos movimentos sociais em especial do movimento estudantil. A polícia civil tem atuado a mando dos empresários do transporte coletivo e do governo. Aos governos estadual e municipal não interessam solucionar a crise do sistema de transporte da capital nem reconhecer o direito a população ao transporte coletivo digno, como direito de todo o cidadão a uma cidade mais humana.

Exigimos a imediata libertação de todos os estudantes que estão sendo ilegalmente caçados e perseguidos politicamente pelos órgãos de segurança do estado de Goiás, que deveriam servir à população, e não defender os interesses de um grupo de empresários e seus sócios nos governos estaduais e municipais.

Lutar não é crime!
Abaixo a repressão aos lutadores sociais!
Liberdade imediata aos estudantes!

Juventude Comunista Avançando JCA

Polo Comunista Luiz Carlos Prestes - PCLCP