Greve massiva no Reino Unido contra reformas na previdência

Londres, 10 de maio (Prensa Latina) - Milhares de trabalhadores públicos no Reino Unido tomaram hoje as ruas do país em uma greve de 24 horas para protestar contra os planos propostos pelo Governo para reformar o sistema de previdência.

 

De acordo com líderes sindicais, uns 400 mil empregados, entre eles policiais e trabalhadores do setor de imigração, se uniram ao protesto e expressaram seu descontentamento pelas mudanças que lhes obrigariam a trabalhar mais anos e receber menos uma vez aposentados.

Para o secretário geral do sindicato do setor público Unite, Gail Cartmail, a greve evidencia o alto nível de descontentamento entre os trabalhadores que pela terceira vez em seis meses vão à greve contra o projeto governamental.

Cartmail, em nome dos empregados, comentou que o Governo ataca suas aposentadorias como maneira de ajudar a reduzir o déficit orçamental.

A dívida fiscal que afeta à economia britânica foi gerada pela cobiça de uma elite da City, afirmou o dirigente sindical em referência aos banqueiros.

Na nação europeia, o déficit orçamental atingiu em março deste ano 6,4% do Produto interno bruto.

O Governo de coalizão formado por conservadores e liberal-democratas tentou tirar importância da greve desta quinta-feira ao considerá-la sem sentido.

 

Segundo o chamado ministro do Gabinete, Francis Maude, o Executivo continuará com a reforma, a qual prevê um aumento das contribuições e da idade de aposentadoria de 65 a 67 anos para 2028, agregou.

Apesar da rejeição popular a essa medida, a rainha Isabel II confirmou ontem perante o Parlamento que o projeto oficialista é uma das prioridades para esse ano.


Fonte: http://www.prensalatina.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=505402&Itemid=1